TRANSITAR

trans-bordar trans-ar trans-cender trans-pirar trans-fixar trans-formar trans-por trans-gredir trans-lucidez trans-mudar trans-ferir trans-luzir trans-mutar trans-viar trans-tornar

Nome:
Local: Paraíba/Rio de Janeiro, Brazil

domingo, julho 01, 2007

Para Léo e Jânsen

Nosso blog completou um ano e eu estava ausente.
Minha vontade de voltar era tanta que foi preciso chegar muitas vezes até conseguir concentrar toda minha energia. Cheguei em casa, vi minha família. Cheguei na universidade, arrumei um emprego. Cheguei no meu cotidiano, comprei (compramos) um fogão. Cheguei na minha vida, lavei a alma na chuva de São João. Existe coisa melhor do que deixar a água levar o que passou e abençoar o novo?
Eu, que sou água de signo e ascendente, me integrei novamente à cidade na chuva que lavou o varadouro essa semana. Andando descalça pelas calçadas do centro histórico e aproveitanto a água acumulada pra me unir à água que sou, revisitei muita gente, muitos fatos, muitos textos. E muitos daqui do blog. Senti saudade dos nossos primeiros contatos, aqueles que fizemos muito antes de iniciar o nosso transitar.
É... o tempo modifica tudo.
Depois de andar por caminhos tão diversos como arte, cultura, espiritualidade, cotidiano, teorias, especulações, impressões, sensações, a colcha de retalhos que forma o nosso bate-papo virtual agregou outros leitores, ganhou um meio-irmão (mirar & ver), mas, principalmente, nos fez rever o que é a escrita (e a leitura), cada um por suas próprias impressões.
Saudade? Sentimos sempre. Um do outro. Um do olhar do outro. Um dos textos do outro. E por aqui, espero, a gente siga amenizando a distância. Acima de tudo, e tomando como modelo a ‘volubilidade’ da água, espero que possamos seguir falando de tudo, sem preconceito nem auto-censura.
Feliz aniversário atrasado!

2 Comentários:

Anonymous Leo disse...

Voces sabem como sou, sempre leio estas coisas com um aperto arretado no coração. Nossa!
Bom, rainha é rainha e mostra isso com palavras certeiras...
Cada qual de nós, depois deste um ano, segue o seu destino(?)...
Fez 7 meses que tô longe de minhas bases (de voces), isso me deixa bastante vulnerável, meus amigos.
Ainda não tenho uma rotina de trabalho e estudo tão louca como eu tinha aí o que talvez agrave a sensação da falta de voces, mas sou recompensado por outro lado, pois tenho sempre a certeza de ter tomado a decisão certa, mesmo sem ter suposto a enorme mudança que isso faria a minha vida.
Tenho aprendido muito, uma coisita que tenho pensado nos recentes dias: "Quem saberá a cura do meu coração senão eu?"
É isso... "O tempo modifica tudo"

SAUDADE!!!
"E por aqui, espero, a gente siga amenizando a distância" (física).
Bjs no coração.

10:49 AM  
Anonymous Jansen disse...

De fato, nem sei o que dizer.
Saber que as coisas mudam, fato. Agora: negócio é que umas mudam para o lado que queremos, outras nem tanto. Enquanto vida pessoal, realizado, tudo se encaixou. Enquanto lado profissional, um vazio e um oco que faz eco quando volto pra reler nossos textos.
Sinto que mudei meu jeito de escrever as coisas, estou tão ausente que sinto até medo de escrever. O tempo tem me roubado algumas horas vagas de antes. A sensação é como com muita sede, mas de corte na boca: a água bate, refresca e logo depois a dor do ador. Mas espero que quando agosto chegar eu volte a sentir o gosto de novo no meu paladar.
Desculpem a ausencia, mas saudade assim se nutre.

2:19 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial